Adaptabilidade da Camelina sativa e uso na produção de biodiesel - uma revisão

Autores

  • Adriana de Jesus Borges
  • Ednildo Andrade Torres

Resumo

A necessidade mundial por fontes alternativas para produção de biocombustíveis faz com que pesquisas com culturas oleaginosas, como a Camelina sativa e outras matérias-primas, sejam realizadas. A Camelina é uma espécie da Família Brassicaceae que possui elevado teor de óleo, chegando a aproximadamente trinta e cinco por cento (35%) e com rendimento de cerca 1.200 kg de semente por hectare e que foi bastante cultivada na Idade do Bronze, na Europa. Devido ao grande número de trabalhos publicados com essa cultura, este trabalho tem como principal objetivo fazer uma breve revisão da espécie Camelina sativa, demonstrando suas características morfológicas e botânicas, adaptabilidade e produtividade, além da produção e qualidade do biodiesel do óleo de Camelina. A metodologia utilizada foi consulta em periódicos nacionais e internacionais, relacionados à Camelina sativa. Os resultados mostram que a espécie possui uma ótima adaptabilidade em diversas condições ambientais, então, isso torna a espécie propícia de ser cultivada em áreas marginais ou pode ser cultivada na entressafra de outras culturas oleaginosas. Seu óleo possui grande potencial para produção de biodiesel, devido às características físico-químicas, ideias encontradas em diversos trabalhos. Conclui-se que a Camelina possui características que faz com que tenha um grande potencial para ser utilizada, tanto na alimentação, quanto na produção de biodiesel.

Downloads

Publicado

2018-08-22

Como Citar

Borges, A. de J., & Torres, E. A. (2018). Adaptabilidade da Camelina sativa e uso na produção de biodiesel - uma revisão. Revista Liberato, 17(28), 137–146. Recuperado de http://revista.liberato.com.br/index.php/revista/article/view/535